Blog Agibank
Pra você ficar bem informado agora.

Insights sobre tecnologia, inovação e finanças.

Como o aumento da Taxa Selic afeta os investimentos de renda fixa?

Nesta semana, o Banco Central aumentou a Taxa Selic de 2,75% para 3,5% ao ano. O objetivo do governo é controlar o avanço da inflação. Mas a taxa básica de juros também tem impacto sobre os investimentos. Você sabe como ela afeta os títulos de renda fixa?

Em alguns casos, essa relação é direta. A poupança e o Tesouro Selic, por exemplo, usam a taxa básica de juros para calcular os rendimentos. Mas a variação da Selic também influencia títulos baseados em outras taxas. Vamos explicar como isso funciona.

 

O que é a Taxa Selic

Antes de mais nada, é bom você saber que número é esse. A Selic é a taxa básica de juros da economia brasileira. Ela serve de referência para o mercado financeiro definir outras taxas. É o caso dos juros que você paga em empréstimos e financiamentos, por exemplo.

Quem determina a Selic é o Comitê de Política Monetária do Banco Central (Copom). Esse grupo se reúne a cada 45 dias para decidir se ela irá aumentar, diminuir ou ficar igual.

Para tomar essa decisão, o Copom leva em consideração vários indicadores financeiros, além da situação econômica do país. Essa análise indica se há necessidade ou não de mexer na taxa de juros.

 

Por que a Selic aumentou

A Selic tem relação direta com a inflação. Isso porque, quando os juros estão muito baixos, o dinheiro circula mais, o que contribui com a inflação. O contrário também acontece: com juros mais altos, o número de empréstimos e financiamentos cai.

Por esse motivo, o governo geralmente aumenta a Taxa Selic para frear a inflação. Foi o que aconteceu na reunião mais recente do Copom. O grupo resolveu elevar em 0,75% a Selic, que estava em 2,75% ao ano.

Mas, além servir para controlar a inflação, a mudança também tem impacto sobre o retorno dos investimentos. Vamos explicar como a taxa básica de juros afeta os títulos de renda fixa.

 

Como a Taxa Selic afeta a poupança

A poupança está entre os mais afetados ela Taxa Selic. É que o valor da taxa básica de juros está na base do cálculo dos rendimentos, que é definido por lei.

 

Quando a Selic está igual ou menor a 8,5% ao ano, o rendimento da poupança é calculado assim:

 

70% da Taxa Selic + TR (Taxa Referencial)

 

Como a Taxa Referencial está zerada há anos, o rendimento da poupança hoje é igual a 70% da Selic. Ou seja, com a taxa em 3,5%, o rendimento da poupança fica em torno de 2,45% ao ano. Pouco, né?

A boa notícia é que há opções tão seguras quanto a poupança que rendem mais. Algumas delas pagam 100% da Taxa Selic.

 

Como a Taxa Selic afeta o Tesouro Direto

Uma das opções de investimentos de baixo risco que rende mais que a poupança são os títulos públicos. São aqueles em que você empresta dinheiro para o governo. Entre eles, o Tesouro Selic é o mais afetado pela variação da taxa básica de juros.

Isso acontece porque o rendimento dessa aplicação é a soma de uma taxa fixa mais a variação da Selic no período em que o seu dinheiro ficou investido. Ou seja, quanto mais alta a taxa básica de juros, mais você pode ganhar com o Tesouro Selic.

Além disso, como quase todos os investimentos, o Tesouro Selic é uma opção melhor do que a poupança. E, assim como a caderneta, não cobra taxas caso você precise resgatar o dinheiro antes do planejado.

 

Como a Taxa Selic afeta o CDI

A variação da Taxa Selic também mexe com outro índice econômico. É o Certificado de Depósito Interbancário, ou CDI.

O CDI é o nome dos empréstimos que os bancos fazem entre si para fechar o dia com o caixa no positivo, que é uma determinação do Banco Central. E, como todo empréstimo, ele cobra juros. É a chamada Taxa DI.

A taxa de juros do CDI geralmente acompanha a Taxa Selic. Mas por que isso acontece? Primeiro, porque se a Selic for muito mais alta que a DI, os bancos podem preferir emprestar dinheiro ao governo, e não a outros bancos.

Já se os juros do CDI forem maiores do que Selic, a remuneração dos títulos baseados na DI sobe. E isso também não é bom negócio para os bancos.

 

Como a Taxa Selic e CDI afeta os investimentos de renda fixa

Uma pessoa comum não pode investir diretamente no CDI. Mas as instituições financeiras usam a Taxa DI como base para definir os rendimentos de outros tipos de investimentos.

É o caso dos CDBs, LCIs, LCAs e LCs, entre outros. Todos eles são investimentos de renda fixa, o que significa que determinam a taxa de rendimento e o prazo na hora em que você investe. Eles são considerados de baixo risco, e boas opções para quem quer começar a investir.

É comum que a remuneração oferecida por um CDB, por exemplo, seja anunciada como um percentual do CDI. Você já deve ter ouvido falar em investimentos que rendem 100% do CDI. Isso significa que o valor que você irá receber pelos juros é igual à média anual calculada para essa taxa.

Como já vimos, a DI geralmente acompanha a Selic: quando a taxa básica de juros sobe, a taxa do CDI aumenta também. Ou seja, investimentos que usam a Taxa DI como referência podem se beneficiar do aumento da Selic. E os investidores receberão juros maiores.

 

O que significa o aumento da taxa básica de juros na prática?

Agora você já sabe que o governo usa a Selic para controlar a inflação, mas essa taxa também influencia a vida dos investidores.

Veja de que forma a variação dela afeta o seu dinheiro:

 

Quando a Taxa Selic aumenta

  • Os preços dos produtos caem ou ficam estáveis. Isso tem a ver com o controle da inflação.
  • Os juros de empréstimos e financiamentos sobem.
  • Títulos de investimento que usam essa taxa ou a DI como base ficam mais lucrativos.

 

Quando a Taxa Selic diminui

  • É mais barato pedir empréstimo ou fazer um financiamento, já que os bancos
  • tendem a reduzir as taxas de juros.
  • Com mais dinheiro circulando, a inflação tende a subir.
  • Títulos que usam essa taxa como base ficam menos atrativos.

 

Quero aproveitar a alta da Selic para investir, e agora?

Agora que você sabe que o aumento da Selic é bom para os títulos de renda fixa, que tal começar a investir. Se você não sabe por onde, não tem problema. A gente te ajuda.

Uma ótima opção para quem está chegando agora no mundo dos investimentos é o CDB do Agibank. Nele, você pode investir a partir de R$ 500.

Além de ser simples e seguro, o CDB do Agibank oferece uma rentabilidade melhor do que a da maioria dos bancos. Quer saber mais? Fale com Aline Brum e Marcel Reis através do e-mail investimentos@agibank.com.br