Blog Agibank
Pra você ficar bem informado agora.

Insights sobre tecnologia, inovação e finanças.

Empréstimo e financiamento: saiba qual é a diferença e quando contratar

Quem já pensou em pedir dinheiro a uma instituição financeira pode ter se perguntado sobre a diferença entre empréstimo e financiamento. Afinal, essas são duas formas de conseguir recursos rapidamente para adquirir um bem ou resolver um problema.

Além disso, as duas opções estão disponíveis tanto para pessoas físicas quanto para empresas. Mas, apesar disso, empréstimo e financiamento têm várias diferenças.

As principais são a finalidade e as garantias de cada um. Mas também mudam as condições de contratação, dependendo de quem empresta. Quer entender melhor como isso funciona? Siga no texto que vamos explicar para você.

O que é empréstimo

O empréstimo é um jeito rápido e fácil de conseguir crédito. Isso porque quem contrata não precisa informar como irá usar o dinheiro. Pode fazer o quiser com ele, desde que se comprometa a pagar depois, é claro.

Mas não é por isso que ele deve ser feito sem motivo. Pelo contrário. É muito importante saber bem onde você quer colocar o dinheiro do empréstimo e como vai fazer para devolvê-lo. Isso porque quem empresta determina um prazo para esse pagamento e cobra juros. Ou seja, você vai devolver sempre mais dinheiro do que pegou emprestado.

Aqui no blog a gente já deu dicas para ajudar você a colocar as contas em dia e fazer um planejamento financeiro. Assim você passa menos aperto e pode deixar para pedir crédito apenas em último caso. Você pode acessar o texto clicando aqui.

Como funciona o empréstimo

A contratação de crédito ocorre em bancos e outras instituições financeiras. Os tipos mais comuns são o empréstimo pessoal e o empréstimo consignado.

O pessoal é aquele empréstimo que qualquer pessoa pode contratar, a qualquer momento. Em troca, a instituição cobra juros pelo pagamento.

Esse cálculo normalmente leva em conta o histórico do cliente: se paga as contas em dia, se está no negativo ou não, essas coisas. Quem está sempre no vermelho ou atrasa pagamentos pode ter que assumir juros mais altos.

Já o empréstimo consignado é só para algumas pessoas, como aposentados, pensionistas e funcionários contratados, se a empresa tiver convênio com alguma instituição financeira. Nesse caso, o pagamento das parcelas é descontado automaticamente do contracheque de quem contratou. A gente explicou tudo sobre o consignado neste link.

Por causa do desconto automático, esse tipo de empréstimo tem um limite de valor. É a margem consignável, que é o percentual máximo do salário que pode ser usado para pagar as parcelas. O lado bom é que, por causa da garantia de pagamento, ele geralmente tem juros bem mais baixos do que o empréstimo pessoal. Quer entender como funciona a margem consignável? É só clicar aqui.

No Agibank, que tem algumas das taxas mais vantajosas para o consignado, o cliente também pode contratar esse tipo de crédito sem sair de casa. É o consignado digital. Para solicitar, é só preencher os dados no site e seguir o passo a passo que está neste link.

O que é financiamento

O financiamento também é um jeito de conseguir recursos de instituições financeiras, mas ele tem regras diferentes do empréstimo. A principal é que quem contrata um financiamento tem que adquirir um bem ou um serviço específico.

Em geral as pessoas financiam coisas de alto valor, como um veículo ou um imóvel, por exemplo. Geralmente o bem que você financia serve como garantia do financiamento. Isso quer dizer que, se você não paga, pode perder o bem que adquiriu. Ruim, né?

Em contrapartida, os juros costumam ser menores dos que os de empréstimos.

Como funciona o financiamento

O financiamento também pode ser contratado em bancos e instituições financeiras. Mas, diferentemente do empréstimo, você tem que acertar antes no que vai colocar o dinheiro. Não dá para gastar de qualquer jeito.

Isso quer dizer que, na hora da contratação, você tem que saber o que quer. Por exemplo, adquirir um imóvel ou um carro. Geralmente, esse bem vai ser a garantia da dívida.

Em alguns casos, a instituição que empresta o dinheiro só passa o bem para o nome do cliente quando a dívida é quitada. O nome disso é alienação fiduciária.

 

Mas afinal, é melhor fazer empréstimo ou financiamento?

Como você viu, a principal diferença entre o empréstimo e o financiamento é o objetivo. Ou seja, a melhor opção vai ser aquela que atende as suas necessidades naquele momento.

Nos dois casos, as taxas de juros e os prazos de pagamento podem variar de um lugar para outro. Por isso, é importante pesquisar bem antes de decidir.

Caso você escolha o financiamento, tem que lembrar sempre que pode perder o bem que adquiriu se não pagar as parcelas, mas pode pagar juros menores. Já o empréstimo dá mais liberdade, mas tem taxas mais caras. Pense bem no que é mais importante para você.

Lembre-se, ainda, que bancos e outras instituições financeiras não são obrigados a conceder empréstimos ou financiamentos a seus clientes. Isso depende das regras internas de cada instituição.